quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019








eu. tantas vezes só. dentro do meu coração. esperando               - que te regresses por dentro da mata e me mostres que estar vivo é a maior bênção - a luz consome-me e quando fecho os olhos é o teu rosto que vejo. todo iluminado - nunca esperei que te roubassem de mim assim. tão forte. que as minhas raízes se abriram em ferida de 2010 até hoje - sento-me em todos os precipícios. tão pequeno é mundo quando visto do alto. tão pequenas as mágoas. sinto a copa das árvores nos meus pés. inspiro ar puro até levitar - acredito que me possam ainda salvar. que este estar assim inteiro te possa regressar - procuro pelo melhor de mim nas nossas memórias e reconheço-me no teu sorriso - que azul imenso. pelos teus olhos dentro. mergulho - o teu corpo aberto para me receber. que graça tão grande. que sobrevivência póstuma - quero ficar. quero partir. a mulher que sou grita por ti. somos as duas uma só. eterna




Sem comentários:

Enviar um comentário